Você já deve ter ouvido falar de café especial, café tradicional e café gourmet.

Mas, afinal, qual é a diferença entre eles? Vamos descrever o que leva um café a ser considerado café especial, além de suas outras classificações. Confira!

O que é café especial?

Para que um café seja considerado café especial, internacionalmente, ele deve passar pela metodologia criada pela SCAA (Specialty Coffee Association of America) e obter ao menos 80 pontos, avaliados em diversos critérios.

Os critérios que fazem com que aquele café seja considerado especial consideram variados aspectos, que com os pontos somados chegam na avaliação final.

Dentre os critérios avaliados, temos somente um que é subjetivo, denominado conceito final. Nesse, o avaliador considera a sua impressão sobre o café.

Os demais critérios são objetivos:

  • Aroma;
  • Uniformidade;
  • Presença ou ausência de defeitos;
  • Doçura;
  • Sabor;
  • Acidez;
  • Corpo;
  • Harmonia;
  • Finalização;
  • Conceito final.

Assim, podemos perceber que um café especial é uma bebida de alta qualidade, que também apresenta características sensoriais marcantes, como o aroma, por exemplo, além do sabor.

É importante citar que muitos grãos, que darão origem aos cafés especiais, apresentarão detalhes como aroma e sabor de chocolate, caramelo, dentre outras características bastante interessantes.

Mas, existe também outra classificação.

Programa de Qualidade do Café

O Programa de Qualidade do Café foi criada pela Associação Brasileira da Indústria do Café em 2004.

Nele, os cafés são avaliados em Tradicional (ou Extraforte), Especial e Gourmet, conforme a pontuação recebida.

O objetivo do Programa de Qualidade do Café era justamente orientar o consumidor, para que o apreciador de café percebesse que existem diferenças entre os tipos de cafés.

Mas, o programa acabou servindo também para manutenção da qualidade para a indústria, incluindo o tipo de torra, bem como assegurando a consistência na qualidade do café produzido.

Assim, a nota mínima aceitável para um café é 4,5. Abaixo disso, aquele café específico não é recomendado para consumo.

Tipos de cafés

Vamos falar sobre a classificação entre diferentes tipos de café conforme o Programa de Qualidade de Café da Associação Brasileira da Indústria do Café

Tradicional ou Extraforte

Nessa classificação, um café considerado Tradicional apresentará pontuação entre 4,5 até 6. Nesse grupo há cafés arábica, robusta/conilon ou blends, que são misturas de diferentes tipos de grãos.

Especial

Já um café especial tem pontuação entre 6 e 7,2. São cafés melhores. É simples entender essa comparação se pensarmos em vinho.

No caso do café especial, podemos compará-lo a um vinho de mais qualidade. Em relação às variedades de grãos, o café especial apresenta grãos de cafés arábica, ou blends com robusta/conilon.

Café gourmet

Por último, temos a classificação de cafés gourmets. Esses são considerados os melhores tipos de cafés.

Um café gourmet apresenta pontuação entre 7,3 até 10. Em comparação aos vinhos, aqui teríamos vinhos mais finos, os grand cru, mais raros e exclusivos, finos e com qualidade incomparável.

Mas, como é feita essa classificação?

Como é feita a avaliação para um café especial pelo Programa de Qualidade do Café?

Para essa classificação, a Associação Brasileira da Indústria do Café avalia diversos critérios do café e também da empresa do produtor.

Ao contrário da classificação da Specialty Coffee Association of America, que estabelece os 80 pontos para o café especial, mas avalia somente a bebida, aqui também o produtor é avaliado, para verificar se ele segue as boas práticas para a produção de cafés especiais.

Assim, são avaliados por avaliadores e laboratórios credenciados critérios como aroma, sabor, corpo, acidez, torra e moagem, por exemplo.

Além disso, a empresa produtora daquele café é também avaliada, em relação às boas práticas.

Portanto, a planta do produtor é avaliada, para verificação dos ambientes onde os grãos de café especial são colheitos, tratados e produzidos.

plantação dos grãos de café

Mas, afinal, quais são as principais características de um café especial?

Para o consumidor comum, ou seja, você e todas as pessoas que você conhece, que ainda não fizeram um curso sobre café nem são especialistas no assunto, quais são as principais características de um café especial?

1) Amargor praticamente ausente

Para começar, um café especial não tem um sabor marcado pelo amargor, tão comum no café tradicional do dia a dia.

Sabe aquela história de o café que você precisa colocar açúcar de tão amargo que é? Pois é, essa é uma característica frequente do café tradicional.

Inclusive, um café denominado especial não pede açúcar ou adoçante, já que seu sabor da bebida é marcado por características até frutadas ou com toques de chocolate ou caramelo, por exemplo.

2) Torra mais clara

Outra característica bem marcante é a torra: cafés especiais costumam ter torra média, para que o sabor dos grãos seja bem apreciado.

Ou seja, você perceberá, ao ver o pó dos cafés especiais ou de seus grãos, uma torra mais clara.

Ao contrário do café tradicional, que possui geralmente uma torra bem mais escura, dado que os grãos não são previamente selecionados.

Assim, essa torra mais escura, em vez da torra média, mais clara, que caracteriza os cafés especiais, é uma característica bem marcante de diferença entre os cafés especiais e o café tradicional.

3) Acidez

Além disso, os cafés especiais não possuem uma acidez extremamente pronunciada. Ou seja, para quem sofre de algum problema do estômago, por exemplo, os cafés especiais são mais indicados.

Mas não é só na acidez reduzida e no menor amargor que os cafés especiais se destacam. Seu aroma também é bem marcante e a doçura de uma bela xícara também merece destaque, sobretudo quando comparados ao café tradicional.

4) Aroma

Os aromas dos cafés especiais são bastante marcantes e geralmente tem aromas frutados,

A bebida, quando se trata de café especial, tem um corpo bastante notável e não deixa um retrogosto no paladar.

5) Corpo

Um café especial é geralmente bastante encorpado. Essa é outra característica bastante marcante dos cafés especiais.

6) Sabores

Além do amargor, da torra, acidez, do aroma e do corpo, os sabores presentes em um café especial são bem marcantes.

Isso porque são utilizados grãos de mais qualidade, geralmente do tipo 100% arábica ou com blends de grãos superiores.

Dessa forma, em relação ao café tradicional, os cafés especiais têm mais qualidade e sabor superior.

selecionando filtro para preparo

Como se faz o café especial?

Primeiramente, você precisa adquirir esse tipo de café, seja em grãos ou já moído.

Preste atenção na embalagem, pois ela deve contar o selo da Associação Brasileira da Indústria do Café, indicando a classificação daquele café.

A seguir, caso seja café especial em grãos, você deve fazer a moagem do grão.

Geralmente, a moagem e o preparo não difere para cafés tradicionais. Portanto, o método de preparo é aquele que mais se adapta ao seu gosto.

Mas, como a torra desse café é mais clara, você perceberá que a bebida quando finalizada terá coloração mais clara.

Portanto, escolha o método ideal para você e siga nossas dicas. Porém, lembre-se que você precisa de um grão de qualidade para fazer uma bebida boa.

Lembre-se que formas diferentes de fazer o café, demandam moagem diferentes.

Geralmente, cafés tradicionais vem com moagem fina. Por outro lado, cafés especiais em pó vêm com moagem média. Portanto, preste atenção nesses detalhes e escolha a moagem ideal para a forma que você prepara o seu café.

Vamos descrever algumas formas para você preparar o seu café especial e ter o melhor resultado possível!

Coador descartável

Não existe uma regra perfeita para o café perfeito.

Afinal, o café deve ter sabores, doçura e aromas ao final do processo. E quando se pensa em proporção, isso é algo bem pessoal.

Entretanto, se você não tem ideia de como o processo de fazer o seu café utilizando um coador descartável é feito, então siga essas dicas:

  • Utilize um coador descartável em vez de um coador de pano, já que a higienização do coador do pano nem sempre é feita com perfeição (por mais que você acredite que sim!), então prefira utilizar um coador descartável sempre que for fazer café;
  • O coador descartável permite que óleos essenciais dos grãos passem para a bebida, aprimorando os sabores;
  • A proporção é, em média, 10 g de pó para cada 100 mL de água;
  • Não ferva a água para fazer o café. A temperatura da água deve estar, idealmente em 82°C e 85°C, de acordo com a National Coffee Association, dos Estados Unidos;
  • Coloque a água até metade do filtro. Aguarde 30 segudos. Isso é essencial para que haja hidratação do café;
  • Então, despeje o restante da água em círculos;
  • Aguarde ao menos 3 minutos.

Cafeteira italiana

A cafeteira italiana é uma maneira prática de fazer café, sem coador descartável e diretamente no fogão.

Algumas pessoas não gostam do sabor produzido pela cafeteira italiana, pois falam que o café fica “queimado”. Porém, isso só ocorre quando você erra na espessura do pó.

De fato, a moagem deve ser grossa para média, dado que o pó fino impede a passagem da água.

Outro fator importante é você perceber que quando a água começar a subir, é hora de retirar sua cafeteira italiana do fogão.

Prensa francesa ou french press

Para utilizar a prensa francesa, é importante também utilizar a espessura de moagem grossa ou média, pela mesma razão da cafeteira italiana.

Pós em espessura fina também impedem a passagem da água. É um bom método de extração de café.

Para ter um bom resultado com a prensa francesa, utilize 10 g de pó para 180 mL de água. A infusão deve durar 4 minutos.

Então, empurre o êmbolo até que atinja o fundo. Pronto! O processo estará finalizado e você terá uma bebida deliciosa.

V60

Por último vamos falar um pouco do V60. Ele possui linhas em forma de espiral e são essas características que permitem a expansão do pó de café enquanto a bebida é preparada.

Além disso, o coador possui uma abertura grande, que permite que o processo seja feito de modo controlado.

Assim, adicione a água em círculos, de maneira devagar, para que pó e líquido entrem em contato lentamente. O resultado final é uma xícara deliciosa da segunda bebida mais consumida do mundo.

método hario v60

Quanto custa o café especial?

Aí depende de vários fatores: onde o grão é produzido, região, se é no Brasil ou não, se é café 100% arábica ou não, dentre outras características.

Há alguns produtores que receberam prêmios por sua produção, assim, escolher esses produtores certamente resultarão em produtos mais caros.

Entretanto, há excelentes marcas de café no Brasil, cujos preços não são absurdos, o que resultará em uma compra não muito cara, com resultado excelente.

Por outro lado, há também cafés especiais espelhados pelo mundo, com características bastante individuais e que também podem ser bastante apreciados.

O importante é você escolher um café que você goste, resultando uma xícara deliciosa da bebida e que também agrade seu bolso!

Portanto, não custa pesquisar bastante antes de escolher!

Apenas para Leitores do ReviewCafé

Nós como parceiros da Amazon criamos uma lista com diversas promoções de cafeteiras e acessórios para café. Veja agora!