Se você é um ávido consumidor de café, já se deparou com o café solúvel nas prateleiras do comércio, mesmo que a sua preferência seja pelos grãos especiais.

Embora muita gente ainda conserve certo preconceito com a versão instantânea, não há dúvidas quanto à popularidade da bebida no mundo inteiro.

Além dos seus vários benefícios, desde as baixas calorias à alta concentração de antioxidantes e propriedades analgésicas e estimulantes, que auxiliam nas funções cerebrais, os cafés coado em grãos ou moído (fresco) e instantâneo (solúvel) dividem o mesmo mercado lado a lado, em preferência mundial.

Especialistas estimam que até 2020 o mercado movimentará cerca de 36,3 bilhões de dólares no mundo todo somente com a produção, venda e consumo de café instantâneo, tendo a China e Rússia como líderes de vendas.

A sua praticidade de consumo é inegável, mas o café solúvel tem conquistando cada vez mais apreciadores também pela qualidade, visto que desde a sua descoberta já evoluiu bastante.

Hoje é possível encontrar versões instantâneas feitas 100% de café arábica na composição do extrato, em que as características sensoriais dos grãos são preservadas.

Com isso, o produto chega a ser bastante semelhante ao café fresco em sabor e aroma.

No entanto, há ainda muitas diferenças entre as duas versões em relação às formulações, seleção de grãos e processos de fabricação.

Quer entender um pouco mais sobre o café solúvel?

Continue nos acompanhando abaixo, que explicaremos tudo o que você precisa saber para identificar um bom café e garantir uma escolha mais acertada.

Afinal, o que é o café solúvel?

O café solúvel ou instantâneo, é um composto natural extraído de forma solúvel e volátil dos grãos de café.

Como no café tradicional, ele é produzido a partir do grão moído e torrado, em seguida processado a partir de diferentes tipos e etapas de desidratação.

A sua concentração é mais potente por conta dos processos de evaporação ou congelamento a que é submetido. Mas a sua principal característica é não precisar ser filtrado ao ser preparado, como no pó de café comum.

Além da praticidade de preparo, o café solúvel tem baixa umidade, por isso, tem maior durabilidade, sendo capaz de conservar o seu sabor e qualidade por mais tempo.

Muitos fabricantes também utilizam apenas café arábica na produção, elevando a qualidade do café e preservando as características de aroma e sabor do grão, a fim de proporcionar um sabor suave, às vezes com presença de notas de caramelo.

Por contar com processos simplificados de preparo, basta adicionar o alimento à água filtrada e quente, sem necessidade de coar para dissolver.

Dependendo da quantidade, é possível obter consistências diferentes até um xarope mais espesso, quando misturado ao açúcar.

xícara de café instantâneo

Como se chegou ao café instantâneo?

A invenção do café solúvel ainda é disputada entre alguns países, sendo que os créditos se dividem entre aqueles que patentearam o produto ao longos dos anos.

Segundo registros históricos, uma das primeiras menções ao café solúvel foi em 1771, na Inglaterra.

O primeiro café instantâneo patenteado pelo governo britânico foi do inventor John Dring, que criou a versão chamada de “composto de café”.

Porém, no século seguinte, em meados de 1890, a fábrica de café e especiarias Strang’s Coffee, na Nova Zelândia, criou o “pó solúvel de café seco da Strang”, que podia ser preparado de forma instantânea com água fervente.

Passados alguns anos, o químico japonês Sartori Kato patenteou nos EUA uma nova versão de café solúvel em 1901, que se tornou o primeiro pó de café solúvel estável do mercado.

No entanto, o produto levou uma década para passar por diversas transformações até começar a ser produzido em massa e comercializado em larga escala, dando todo o mérito ao empresário belga-americano George Constant Louis Washington.

Foi esse o primeiro café instantâneo que atingiu tamanha popularidade durante a Primeira Guerra Mundial, ao ser consumido por soldados americanos nos campos de batalha.

O café solúvel atualmente

Apesar dos preconceitos que circundam o café instantâneo, por parte de alguns apreciadores de café especial, ele é a versão preferida entre consumidores no mercado da China, Rússia, Reino Unido e Turquia.

O Japão é o país líder de fabricação, superando os EUA, seguido da Filipinas, Reino Unido e China.

Já em relação ao volume fabricado comparado ao café tradicional, a Austrália está no topo da lista, com 75% de todo o café fabricado no país, incluindo a Nova Zelândia.

A Rússia se posiciona como um dos 10 principais fornecedores de café solúvel para a Alemanha, tomando a frente do Brasil, a Suíça e Índia.

Já no Brasil, a Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (ABICS), declarou que o país se encontra entre os maiores produtores e exportadores de café solúvel do mundo, com receita aumentando a cada ano e o consumo no mercado interno também crescendo.

O Brasil produz e exporta café solúvel para 87 países, sendo os principais destinos os Estados Unidos, Rússia, Argentina, Japão e Indonésia, seguidos da Holanda e México.

café preparado para tomar

Como é feito o café solúvel?

Basicamente, a produção do café solúvel envolve as mesmas etapas do café fresco tradicional, como seleção de grãos, torrefação e moagem.

Em seguida, ele passa por processos diferentes de extração (hidratação) e secagem (desidratação).

Esses processos complexos são todos industriais, envolvendo alta tecnologia e padrões de qualidade rigorosos, sem qualquer contato manual.

Na primeira etapa, os grãos de café crus são selecionados e colocados dentro de cilindros de combustão especiais em alta temperatura para torrefação.

Em seguida, eles são moídos e milimetricamente cortados em máquinas especiais, para então passar pelas etapas de extração e secagem.

A etapa de extração consiste em hidratar o pó moído através de um processo de imersão em água. O objetivo é criar uma mistura mais concentrada, preservando os sabores e aromas do café, porém transformando seus compostos em líquidos.

Durante a secagem, o extrato concentrado pode passar por dois processos diferentes de desidratação: congelamento (liofilização) ou pulverização (aspersão), saindo prontos para serem embalados.

O processo de congelamento consiste em colocar o extrato concentrado de café em câmaras especiais de resfriamento para transformá-lo em cristais de gelo, para depois serem aquecidos à vácuo, a fim de evaporar toda a água e sobrar apenas o extrato seco para ser embalado e encaminhado aos distribuidores.

Por outro lado, a pulverização é feita por uma máquina especial que desidrata o extrato concentrado com um spray a 30 metros de altura. Ele remove toda a água, secando todo o extrato, deixando apenas o pó solúvel.

Observação importante: o mundo todo fabrica café solúvel a partir de grãos das variedades arábica e/ou robusta/conilon, resultando em um extrato de um café de qualidade com apenas os componentes do grão e da água, sem nenhum aditivo ou conservante.

Quais são os tipos de café solúvel?

Atualmente no mercado é possível encontrar três variedades de café solúvel, dependendo do método de secagem.

Vamos conferir as opções:

Spray dried

Esse tipo de café solúvel é em pó.

O seu processo de fabricação consiste em submeter o extrato de café a altas temperaturas e pressão, a fim de aumentar a sua concentração e o tornar volátil.

Em seguida, o extrato é transferido para o topo de uma torre, para ser pulverizado e exposto ao ar quente, a fim de perder a umidade e virar pó.

Aglomerado

É o café solúvel obtido a partir do café spray dried, onde o grão moído passa por um processo de aglomeração em um equipamento específico.

Ali dentro o pó é submetido a um vapor, com pressão e velocidade ideais até alcançar a granulometria desejada. O resultado é um café solúvel uniforme, de dissolução fácil e rápida, de excelente aroma e sabor.

Freeze dried ou liofilizado

Este é o processo mundialmente adotado, embora seja recente e considerado mais sofisticado. Ele consiste no congelamento do extrato de café a temperaturas muito baixas (até -40 °C).

Em seguida, ele passa pelos processos de moagem, secagem a vácuo e sublimação (passagem do estado sólido para o gasoso), para que a sua desidratação consiga preservar ao máximo as qualidades sensoriais dos grãos, a fim de se obter um café encorpado, com qualidade superior.

Por isso, o café liofilizado tem um preço maior em comparação aos outros tipos de café solúveis, por conta do processo de secagem complexo e da preferência por blends 100% arábica na produção.

diferentes grãos de café

Café solúvel ou Café fresco (coado)?

Agora deu para entender que o grão de café depois de selecionado é torrado e moído antes de passar pelos processos de produção para se tornar café solúvel.

No caso do café fresco tradicional, depois de torrado ele pode ser comercializado moído ou em grãos.

A principal diferença entre eles é que a versão solúvel é preparada de forma instantânea, bastando acrescentar água quente. Já a versão tradicional precisa ser coada.

No entanto, há mais diferenças entre eles, confira abaixo:

Pureza e composição

Dependendo da espécie de grãos utilizada, a qualidade do café pode variar em ambas as versões, assim como os seus componentes.

Um café 100% arábica passa por uma lavoura mais criteriosa em cuidados e uma seleção minuciosa de grãos.

Por isso, muitos fabricantes priorizam os grãos de café arábica que conservam um melhor sabor e aroma, assim como excelentes componentes. Isso faz com que a qualidade do café seja semelhante ao café tradicional de mesma seleção.

Já os cafés feitos de grão robusta/conilon ou blends de arábica com robust,a são produzidos de forma mais simples, tendo uma qualidade inferior no mercado.

Mesmo assim, o café instantâneo contém até duas vezes mais acrilamida – uma substância química potencialmente prejudicial formada durante a torrefação, que é mais potente que no café arábico tradicional.

No mais, ambos conservam as mesmas propriedades, embora o solúvel seja mais concentrado.

Praticidade de preparo

Sem dúvida que preparar café solúvel é mais fácil, pois o seu preparo é instantâneo, bastando dissolver o pó em água quente ou fria.

Já o café tradicional precisa ser moído, se for em grãos, para depois ser coado.

Além disso, ele exige alguns equipamentos para preparar o café, dependendo do preparo escolhido (cafeteira, french press, coador, filtro, etc).

Sabor e Aroma

O café tradicional, moído ou em grãos, oferece uma maior variedade de sabores, pois pode conservar os seus óleos essenciais e composições químicas intactas.

Além disso, possui uma enorme quantidade de blends, assim como um sabor mais encorpado, adocicado e menos ácido.

Já o café solúvel, embora possa conservar sua composição, perde um pouco de sabor e aroma devido às etapas de processamento que é submetido.

Apesar disso, ambos contém antioxidantes e nutrientes suficientes.

Custo-benefício

O café instantâneo tem o custo mais baixo que os cafés moídos tradicionais, dependendo da marca. Quando comparado aos cafés gourmet/especiais a diferença de preço é ainda maior, por conta da qualidade superior.

Com relação ao desperdício, o café moído é descartado após coado, gerando subprodutos. Além disso, quando em grãos acaba desperdiçando um pouco de pó durante a moagem.

Já o café solúvel é totalmente dissolvido em água, não produzindo qualquer subproduto ou lixo para ser descartado.

Durabilidade

O café em grão ou moído tem uma durabilidade menor em comparação ao café solúvel.

Para não perder suas características, tanto o pó quanto o grão, devem ser conservados em embalagem hermética ou na geladeira, mesmo assim durma pouco.

Por outro lado, o café solúvel tem uma vida útil mais longa e não exige maiores cuidados para o seu armazenamento, basta manter a embalagem fechada em local seco e limpo.

Concentração de cafeína

O café moído tradicional tem uma maior concentração de cafeína do que o café solúvel (20% a menos), pois este último perde parte de seus componentes no processo de fabricação.

Curiosidade: uma xícara de café solúvel pode conter entre 30 e 90 mg de cafeína, enquanto uma xícara de café comum contém entre 70 e 140 mg, dependendo do café (café robusta possui mais cafeína que arábica).

E aí, café solúvel vale a pena?

Agora que você já sabe como o café solúvel é fabricado e os tipos disponíveis no mercado, a sua decisão vai depender do seu gosto e estilo de vida.

Sabemos que ele contém menos cafeína e mais acrilamida, comparado ao café fresco tradicional.

No entanto, ainda consegue manter as características sensoriais dos grãos, nutrientes e antioxidantes poderosos.

Portanto, não perde em nada em qualidade, principalmente se for feito com grãos 100% arábica.

A sua grande vantagem é ser super rápido e prático de preparar. Assim, escolha o melhor café solúvel de acordo com as suas preferências.

Confira outras explicações sobre café aqui no site.

Apenas para Leitores do ReviewCafé

Nós como parceiros da Amazon criamos uma lista com diversas promoções de cafeteiras e acessórios para café. Veja agora!